Pesquisar
Close this search box.

Beneficiários do Bolsa Família recebem notícia triste

O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) tem trabalhado arduamente na averiguação cadastral do Cadastro Único (CadÚnico), a fim de encontrar famílias que se cadastraram de forma irregular ou que possuem renda superior ao teto estipulado pelo banco de dados. O projeto, que iniciou em janeiro, vem realizando cortes de benefícios sociais para famílias que não se enquadram nos requisitos estabelecidos pelo governo brasileiro.

Os programas sociais, como o Bolsa Família, que atende mais de 21 milhões de brasileiros, tendem a ser os mais afetados pelo pente-fino. Em março, o primeiro corte bloqueou cerca de 1,5 milhão de beneficiários, e, posteriormente, em abril, outros 1,2 milhão de famílias foram bloqueadas. Além disso, novas famílias tendem a ser bloqueadas até dezembro, de acordo com o Ministro Wellington Dias (PT), chefe da pasta do Desenvolvimento Social.

Muitas pessoas têm reclamado do bloqueio do benefício, alegando que estão em dia com o Cadastro Único e que não deveriam ter sido afetadas pelo pente-fino. Em março, um caso semelhante aconteceu, onde segurados unipessoais foram bloqueados e o MDS, em conjunto com a Caixa Econômica Federal, precisou criar um calendário específico de repasse para os beneficiários que foram bloqueados de forma indevida. Algo semelhante pode ocorrer novamente este mês.

No entanto, a solução para essa situação é simples: é indicado que o segurado procure o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) para avaliar a situação do seu Cadastro Único e evitar o risco de perder definitivamente os benefícios de forma indevida.

Exemplo AMP

É importante lembrar que os beneficiários bloqueados foram notificados pelo Ministério do Desenvolvimento Social, e a atualização cadastral deve ser realizada até o dia 16 de junho para que o bloqueio não se transforme em um desligamento, e os beneficiários deixem de receber de forma definitiva os benefícios sociais.

Segundo o Ministro Wellington Dias, os segurados que conseguirem atualizar o seu cadastro voltarão a receber o Bolsa Família no mesmo mês, e ainda receberão retroativamente os benefícios referentes aos meses em que estiveram bloqueados.

O cidadão deve comprovar as informações e, caso preencha os requisitos do Bolsa Família e comprove que mora sozinho, o benefício volta a ser pago, incluindo as parcelas bloqueadas. Dessa forma, o segurado retorna à folha de pagamento normal do programa e recebe as parcelas referentes aos meses em que ficou sem o pagamento.

Apesar dos bloqueios, os beneficiários que não foram afetados seguem recebendo o benefício de acordo com o calendário oficial, que é escalonado de acordo com o último dígito do NIS (Número de Identificação Social) do beneficiário.

As datas para receber o benefício estão estabelecidas conforme o número final do NIS, e neste mês, os segurados com o NIS de final 4 receberão o benefício no dia 19 de abril.

 

Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.